quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Fumaça longe deles

Todos sabem os males que os cigarros acarretam à nossa saúde. Mas acho que quase nenhum fumante percebe o quanto o cigarro prejudica a saúde dos seus animais de estimação com quem convivem...

Veja essa matéria e poupe seus amiguinhos.

Como se não bastassem os malefícios à saúde humana, cigarro também pode causar problemas respiratórios e dermatológicos no animal de estimação

por Juliana Camargo

Coceiras e queda excessiva de pelo podem ser um indício de que o animal tem alergia à fumaça

Não é segredo para ninguém que fumar faz mal à saúde. E se o cigarro for aceso ao lado de um animal de estimação, a fumaça pode afetar o bem-estar dele também, causando problemas respiratórios e dermatológicos. "Os animais também são fumantes passivos" alerta o veterinário Marcelo Quinzani, diretor clínico do Hospital Veterinário Pet Care, de São Paulo.

A lista de possíveis doenças é extensa e merece uma atenção especial. Rinite, traqueíte (inflamação na traqueia), asma e bronquite são as mais comuns. Os principais sintomas são tosses e espirros frequentes. "Quando perceber essas diferenças de comportamento, procure um especialista", diz o veterinário Luiz Henrique Franco, de São Paulo.

Além de afetar o sistema respiratório do animal, o cigarro pode causar doenças de pele. De acordo com Franco, "se ele começar com coça-coça, queda excessiva de pelo e feridas no corpo, pode ser um indício de alergia à fumaça".
Com o animal que passa a maior parte do dia dentro de casa aspirando a fumaça, a atenção deve ser redobrada. Cães considerados de companhia passam muito tempo com o dono e, por isso, estão mais suscetíveis. E é bom avisar: raça e tamanho não influenciam.

A ausência de sintomas pode ser um sinal de que seu cãozinho está bem, mas é preciso realizar exames frequentes para ter certeza. "Vale levá-lo a visitas periódicas ao veterinário e a cada seis meses [para os mais jovens] ou no período de um ano [para os mais velhos] é imprescindível realizar um check-up completo", comenta Franco. Segundo ele, as doenças relacionadas ao cigarro serão diagnosticadas e tratadas de acordo com a idade e a raça. Mas para preservar a saúde do seu bichinho, vale adotar o velho ditado popular: é melhor prevenir do que remediar. "Não espere que ele fique doente para tomar alguma atitude. É fundamental não fumar dentro de casa ou perto dos animais", ressalta o diretor clínico do Hospital Veterinário Pet Care.


Créditos:
http://revistavidanatural.uol.com.br/index.asp

****************************************************************************








4 comentários:

Lucival disse...

OI Cris....está muito bom o seu Blog..parabéns para vc..ate mais!!!!!!

Domartello disse...

Parabens pela postagem,Um abraço.
Carlos.

Cristina Requião disse...

Olá amigo Lucival,

Obrigada e apareça sempre!

Bjs!

Cristina Requião disse...

Olá Domartello,

Que bom que você gostou...apareça mais vezes, ok?

Abraço!